terça-feira, 9 de junho de 2015

Tô nem aí

F5
Minha ausência no blog, nas últimas semanas, tem motivo. Apertei a minha tecla F5. Sabe aquela que dá um "atualiza" na página? Então...

De repente, começo a não me importar com tanta coisa. A inspiração para escrever foi pelo ralo, junto com o meu desinteresse pelo conflito.

Vamos falar da polêmica da propaganda da "Boticário"? Preguiça. Vamos falar da trans crucificada na parada gay? Sono. Vamos falar da guerra entre evangélicos e LGBT no Facebook? Bocejos.

Perdi a paciência com tanto discurso vazio, com tanta briguinha boba. Acabou a vontade de tentar fazer gente tapada entender o mundo. Esvaziei a lixeira.

Por outro lado, ganhei um gás enorme para exercitar um velho hábito: cuidar da minha vida. Também ando com um ânimo fora do comum pra comer fora, ir ao cinema,  e estabelecer diálogo com quem sabe conversar a língua do coração.

Vamos falar de como é ruim o reboot de "Poltergeist"? Deixa eu te contar como eu chorei com "A incrível história de Adeline"? E de como é bom fazer aniversário para, novamente, ver quem é quem?

Estou numa fase de comer batata frita sem óleo, ouvindo Taylor Swift. De tomar chope com pizza. De ser surpreendido, de deixar o romance entrar e sair quando quiser.

Não tenho mais tempo nem saco pra cabo de força. Não combina com quem pretende ser leve. Deixo o que é pesado pra quem gosta de reclamar. Quero sorrisos e duas coxinhas com catupiry.

"A suprema felicidade da vida é ter a convicção de que somos amados". É uma frase de Victor Hugo. Não vou gritar minha felicidade. Quem grita felicidade não está feliz, já disse uma colega. Digo apenas que Victor tem razão.

Só Deus sabe quando vou escrever o próximo texto. Se o tema vai ser cinema, música, relacionamento, loucura, pasta de amendoim ou pão sírio.

A única certeza é a de que estou indo pra casa preparar meu jantar. Com Taylor cantando. Ou coloco o show da Pink pra rodar? Sei lá. O fato é que a vida precisa ter trilha sonora. Depois do F5, só aumentei o volume. Bora? 

5 comentários:

  1. Maravilha Zivi! F5 é a tecla que deveríamos usar constantemente a nosso favor. A busca por essa leveza nos enriquece aumentando nossa paz,e consequentemente, emanamos a mesma ao próximo. Eu acho que o cabo de força que você citou contribui apenas para nosso desgaste. Se a vida precisa ter trilha sonora, que seja a mais bela, não é mesmo? Agarre esse momento amigo! Bjus (Rose)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já agarrei, Rose. A trilha tá ótima. O coração, levinho. Uma vida sem conflitos faz bem pra pele. Rs. Um beijo pra você, com muito carinho.

      Excluir
  2. Zivi se vc precisar de F1 para dar F5 estarei aqui ;) kk.. abração.
    Flavio "Praga"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha! Criatividade é tudo nesse mundo. Pode deixar, Praga. Conto contigo. Abração!

      Excluir
  3. viva la vida! é isso aí. Jaime
    p.s. não gosto de catupiry kkkk

    ResponderExcluir