terça-feira, 31 de maio de 2011

Chat

Meu Deus

Às vésperas de mais um aniversário, tive um sonho curioso. Lá estou eu em um barzinho chique-decadente, saboreando um Cosmopolitan, num daqueles momentos de solidão necessária, beirando a autossuficiência. Adele, tímida e poderosa, canta “Set fire to the rain” em um palco escuro, para poucos privilegiados. De repente, Deus senta-se ao meu lado e puxa papo. Quer saber mais da minha vida. Eis a nossa conversa.

Deus – Oi, Rodrigo. Tenho te observado lá de cima e dado boas risadas. Como você está?
Rodrigo – Oi! Você por aqui, assim? Que surpresa! Eu estou bem. Estou às vésperas de outro aniversário, você deve saber.

Deus – Claro. Quantos anos mesmo?
Rodrigo – 15, aloka! Humm, 35, mas com carinha de menino, graças a você.

Deus – Verdade. O tempo tem sido generoso, não é mesmo? E sua família?
Rodrigo – Olha, posso te contar sobre minha mãe e minha irmã, que são a minha verdadeira família. Estão ótimas, saudáveis, uns amores. Temos uma ligação muito forte e gostosa. Amor genuíno. Quanto aos outros, me desculpe, mas não me importo muito. Espero que estejam bem.

Deus – Imagina, não precisa se desculpar. Família é algo complicado mesmo, porém uma excelente escola. O que acha que aprendeu?
Rodrigo – Aprendi a ser forte, mesmo sozinho. A não culpar meus pais pelos meus erros e minhas fraquezas. A perdoar quem não sabe amar. A desejar o bem, mesmo a quem não me fez nenhum. E a não me sentir culpado por não querer conviver com pessoas que nunca tiveram nada a me acrescentar, sejam parentes ou não. No fim das contas, aprendi muito sobre o poder da escolha. Eu escolhi ser bom e a fazer o melhor que eu puder.

Deus – Ótimo. Quem te influencia em suas escolhas?
Rodrigo - Minha mãe, porque me ensina muito sobre amor ao próximo, sejam quais forem as circunstâncias. E a Madonna. Não a Nossa Senhora. A cantora mesmo.

Deus – Sua mãe é mesmo especial. Vocês têm uma conexão divina. Fiquei curioso com a Madonna.
Rodrigo – Pois é, todo mundo fica. Parece bobagem, mas não é. Quando passei por alguns dos meus testes mais dolorosos, a Madonna, mesmo de longe, foi uma tábua de salvação. Acho que não preciso explicar muito, você a conhece bem, tudo o que ela fez, faz e significa. Foi com ela que aprendi a me aceitar como sou, a ter orgulho de mim mesmo, a fazer meu melhor e a encontrar você, meu grande amigo, dentro de mim. A Madonna me faz bem por ser um exemplo de força e determinação.

Deus – Sem falar nas músicas da Madonna. Eu gosto daquela safada, viu? “Like a Prayer” é minha favorita.
Rodrigo – A minha é “You´ll See”.

Deus – Eu sei. Essa é legal também. Bom, e a vida aqui na Terra? O que tem achado das tentações?
Rodrigo – Eu não me lembro muito bem do que conversamos antes de eu descer, mas devo ter te implorado para vir por causa de sexo e sorvete.

Deus – É verdade. Como tem aproveitado?
Rodrigo – Com moderação. Sorvete eu sempre tenho em casa. Já o sexo, prefiro com amor, o que é muito difícil de encontrar, né? Sexo é uma coisa de louco. Sem bom senso e equilíbrio, podemos desviar do caminho. Aliás, aqui são muitas as distrações, não? É esse o nosso teste, certo?

Deus – Certo. A existência carnal é o melhor dos testes, porque desafia a força do espírito e do caráter. É assim que você se conhece. Todo mundo pensa que é fácil antes de nascer. Eu sei o quanto é difícil manter o equilíbrio para vocês.
Rodrigo – Pois é. Eu estou me saindo bem?

Deus – Claro que está! E mesmo quando erra, te vejo com muito carinho. Ninguém nasce tirando dez em todas as matérias. Você tem estudado e melhorado suas notas dia-a-dia.
Rodrigo – Obrigado. Eu me esforço. Faz bem para a minha autoestima.

Deus – Autoestima é tudo! E vejo que tem se exercitado.
Rodrigo – De duas a três vezes por semana. Minha saúde está ótima. Estou bonitão, não estou? E a miopia eu disfarço com lentes de contato, até poder operar. Tô bem, tô bem.

Deus – Vixi.
Rodrigo – Rsrs.

Deus - O que te incomoda, além da miopia?
Rodrigo – Acho que as pessoas, de forma geral. Sou míope, mas vejo tudo com clareza. Conviver é uma arte. Este planeta é estranho, cheio de contradições. Fico muito triste quando vejo alguém maltratando um animal.

Deus – Zivi, posso te chamar assim?
Rodrigo – Pode, que legal!

Deus – Então, Zivi. A Terra é um planeta de evolução intermediária. Você veio para cá, porque ainda vibra nessa freqüência, em alguns aspectos. Em outros, está mais evoluído. Aqui, há extremos de prazer e dor, bondade e maldade. Há coisas que você só pode ter neste lugar. Lições que precisa aprender. Conversamos sobre isso, lembra?
Rodrigo – Lembro, vagamente. Estamos mesmo numa montanha-russa. Acho que vou sair vivo dela. Só gostaria de viver num mundo menos hipócrita, egoísta, falso, cruel, de tantas aparências. E não é irônico eu trabalhar em televisão?

Deus – Esse outro mundo existe, e você vai conhecer. Cada coisa a seu tempo. Sobre a TV, você está se saindo bem, não se preocupe. A vaidade não é um de seus pecados.
Rodrigo – Ah, que bom. Eu sei qual é o meu maior pecado: luxúria.

Deus – Relaxa, tá tudo bem. Além da luxúria, achou amor?
Rodrigo – Ah, sim! Nossa, que dádiva. Dá trabalho, mas vale muito a pena.

Deus – Fico feliz. O amor de verdade transforma a gente. Você é, sem dúvida, uma pessoa melhor. Me conta: o que acha que aprendeu de mais importante nesse último ano?
Rodrigo – Olha, aprendi a reconhecer meus erros e a não ter medo de melhorar a mim mesmo. Aprendi a amar melhor e a não me considerar o centro do universo. Continuo individualista, admito. Egoísta, nunca. Também aprendi a ter mais paciência. Paciência não é uma virtude muito comum aos geminianos.

Deus – Nossa, isso é verdade. Reconheço e te aplaudo por isso.
Rodrigo – Não é? Hoje mesmo fui cortar o cabelo, e o barbeiro, conhecido de infância, colocou o DVD da Paula Fernandes como som ambiente. Minha primeira vontade foi me jogar pela janela, mas respirei fundo e até elogiei a moça. Voz bonita a dela.

Deus – Muito bem! A Paulinha é gente boa.
Rodrigo – Aff, me poupe.

Deus – Ok, o que você vai se dar de aniversário?
Rodrigo – Este ano, estou dando cara nova ao meu ap. Amo a minha casa. Ela mostra um pouco do que eu sou.

Deus – Ela mostra muito! Tenho acompanhado. Sua casa está bem aconchegante e muito agradável. Gosto daquele sofá, viu? E o que quer ganhar de mim?
Rodrigo – Sei que é clichê dizer isso, mas a vida, apesar dos perrengues, já é um presente e tanto. Apenas continue me proporcionando situações para que eu tenha mais sabedoria. Sinto que já aprendi muito, mas que a estrada ainda é longa. Peço saúde a todos que amo. E que eu possa ser forte nos momentos difíceis para seguir em frente.

Deus – Seu desejo é uma ordem. Sua estrada será aquilo que você quiser que seja. Vai colher o que plantar. Eu estarei sempre com você. A gente se ajuda.
Rodrigo – Claro, meu amigo. Sei disso. Sempre soube.

Deus - Vai ter festa?
Rodrigo - Não. Comemoro com paz e sossego.

Deus – Sem dúvida, um ótimo jeito de celebrar. Vou nessa, Zivi. Vá devagar com esse Cosmopolitan, hein! Álcool demais estraga a máquina!
Rodrigo – Eu sei, nem gosto muito. Quero imitar a Carrie de “Sex and the City”. É a bebida preferida dela.

Deus – Vira homem e pede uma breja!
Rodrigo – Rsrs. Bebe uma comigo?

Deus – Não, muito trabalho a fazer. Que encontro agradável!
Rodrigo – Nossa, demais. Também gostei muito.

Deus – Fique com Deus. Ou melhor, comigo!
Rodrigo – Rsrs. Já estou. Me dá um abraço aqui.

Deus – Opa!
Rodrigo – Obrigado por tudo.

Deus – Feliz aniversário!

Adele continuou cantando, até a última gota do meu copo. Acordei meio bêbado, sorrindo e com uma certeza reforçada: tenho um amigo de verdade. Presente imbatível esse. 

17 comentários:

  1. Hehehe, sensacional, Ro!

    Muito gostoso de ler e ficou lindo demais. Conversas com ESSE CARA são sempre ótimas.

    Morri de rir com o "15, aloka! Humm, 35, mas com carinha de menino, graças A VOCÊ".
    Hehehe, muito bom!

    Parabéns por esta amizade.
    Amo muito você.

    ResponderExcluir
  2. hahahahaha. Gargalhei demais. Concordo com o Matheus, também adorei o "15, aloka"rs. E a paciência com a Paulinha?hahaha

    Rô, tenho certeza que Papai do céu tem orgulho do filho que colocou nessa Terra de loucos. Dá vontade de colocar você no bolso e carregar pra tudo quanto é lado. Consegue entender?

    Olha, que sinceridade gostosa de ler. Sua mãe precisa ler esse. Tem uma linda homenagem à ela.

    Beijo enorme no seu coração!

    ResponderExcluir
  3. Rodrigo
    Há algum tempo, estava "passeando" solitariamente pela internet (acho o clichê "antes só do que mal acompanhado" bastante válido) e descobri seu blog. Não me lembro como. Mas de lá pra cá, aguardo suas postagens como um adolescente enlouquecido, que passa horas em frente aquelas livrarias à espera da mais nova edição do seu livro favorito.
    Sei que o seu ofício lhe faz ter uma visão bastante variada das situções cotidianas. Talvez por isso que escreva tão bem a política, a música (ou a falta dela) e o poema. Mas particularmente acho que vai além do ofício, é coisa de alguém iluminado.
    Sua acidez é leve porém os pensamentos brandos têm toques apimentados. O compromisso que você tem com seus valores, seus gostos, suas atitudes sem importar-se muito com a crítica alheia me fascina. E não estou aqui para "pelegar", até porque você nem me conhece. É fascínio mesmo! Mas hoje você arrepiou. Pode ter certeza, você tem um fã.
    Parabéns !!!
    Édson Rogério- Sertãozinho

    ResponderExcluir
  4. Édson, muito prazer! Que palavras lindas, fiquei emocionado. Obrigado mesmo. E "antes só do que mal acompanhado" não é apenas um clichê. É um mandamento sábio que precisa ser praticado!
    Lucélia, pode me colocar no seu bolso, na sua bolsa, onde quiser, desde que eu esteja sempre no seu coração, assim como você está no meu.
    Matheus, tinha certeza que você daria boas risadas com "aloka". Quando escrevi, me lembrei de você rindo até a barriga doer, hehe. Tambem amo muito você. Deus sabe o quanto, rsrs.
    Bjão em todo mundo.

    ResponderExcluir
  5. Adorei, está muito engraçado, diferente. Obrigada pela parte que me toca! Você e a mamãe tb são minha família de verdade.
    Bjos da Siga

    ResponderExcluir
  6. O melhor do texto é que foi uma conversa natural, dessas que a gente tem com um amigo, sem se preocupar com o.... "Ai, o que ele vai pensar de mim..."

    É muito bacana, Rodrigo, ler um texto em que alguém fala de Deus, sobretudo quando vivemos em um mundo onde há tanta inversão de valores e falta de fé. Bonitão demais isso!

    E continua valendo muito a pena acessar o blog!
    Aeeee

    ResponderExcluir
  7. Sensacional, Ro!!!
    Como sempre...
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  8. Fala Siga! Hehe

    xxxxxxxxxxxxxxx

    Anônimo, obrigado pelo comentário e pela visita.

    xxxxxxxxxxxxxxx

    Oi, Olívia! Fico feliz que tenha gostado. Bjão!

    ResponderExcluir
  9. Nossa...não consigo mais parar de rir... o pessoal do serviço deve estar pensando que sou louca rindo sozinha...kkk
    Ai ai... amei sua conversa, amei "aloka" mas amei principalmente esse seu bom humor, sua forma tao honesta com vc e com os outros... E 35??????? mentira né... te juro que não dava mais que 26 pra vc, de verdade...
    Realmente seu companheiro de bate papo está sendo muito generoso contigo...
    Saude! Sucesso! Vc vai longe meu amigo!
    Continue assim...admiravel!
    Beijo!
    Meire

    ResponderExcluir
  10. Olá Rodrigo, tudo bem? Que belo sonho! Fazia tempo que não passava por aqui...também, a minha vida está cheia de novidades, então está tudo muito corrido. Não sei se a Marília te contou, mas vou ser mamãe...estou muito feliz...ansiosa, aguardando o baby...o nascimento está previsto para 23/12...até lá...é esperar, buscar informações de como se comportar para ter uma gravidez tranquila...o que comer...rs...é muito engraçado! Bem...espero que esteja tudo certo e...um feliz aniversário, ok? Luciana

    ResponderExcluir
  11. Rô, é o seguinte...sejamos justos vai, não é certo que vc nos habitue a acompanhar os seus textos, suas ideias e percepções e depois nos deixe na abstinência.
    Falo em nome de todos os seus seguidores, heim.
    Escreeeve, menino!
    Beijo grandão

    ResponderExcluir
  12. Rodrigão, que previlégio ter trabalhado e convivido mesmo que em poucas ocasiões !!!
    Já estava com saudades....
    São nessas palavras sinceras que vejo o quanto você é iluminado, inteligente, e tem caracter, sem medo de expor suas verdades !!!
    Um forte abraço !!!
    Tiago de Melo.

    ResponderExcluir
  13. Rodrigão, que *privilégio ter trabalhado e convivido mesmo que em poucas ocasiões !!!
    Já estava com saudades....
    São nessas palavras sinceras que vejo o quanto você é iluminado, inteligente, e tem caracter, sem medo de expor suas verdades !!!
    Um forte abraço !!!
    Tiago de Melo.
    *escrito anteriormente errado.

    ResponderExcluir
  14. Meire, a risada eh o meu efeito colateral preferido, rsrs. Valeu por mais uma visita.
    Luciana, fiquei feliz pela visita aqui no blog e pelas novidades. Voce merece toda a felicidade do mundo.
    Tiago, obrigado mais uma vez pelo respeito.
    E Lucelia, calma! Um novo texto chegando...
    Bjo.

    ResponderExcluir
  15. tanta luxúria - quanta lascívia
    carne pulsante - desejo vital
    funesta injúria - sexo sedento
    vasto amante - íntimo astral

    o suor corre nas veias
    acelerando o corpo inteiro
    a língua pingando prazer
    encontra a pele sem rodeio

    orgasmo – espasmo – te asmo

    ( j. i. - 2015)

    ResponderExcluir