domingo, 25 de setembro de 2016

Lealdade

Prefiro os cães


"Quanto mais conheço as pessoas, mais amo meus cachorros". Concorda? Eu, sim. Tive dois peludos que significaram mais para mim do que muita gente. De lá pra cá, pouca coisa mudou na minha relação com os humanos. Eu não sou muito fã de gente. Prefiro os animais.

Vou me abster dos clichês. Não quero ficar de "mimimi". Basta dizer que cachorro não fala, mas ama. Já os homens... Coitados, quanta pretensão!

Meu apreço pelos bichos só cresce quando os comparo com essa raça que se autodenomina superior. Muito dessa comparação é automática e vem da profissão. Como jornalista, tenho feito muitas reportagens sobre coisas ruins, retratos do mal-feito relacionados a depositários da confiança coletiva.  

Corrupção, mentira, hipocrisia, interesses mesquinhos, dinheiro sujo, políticos que não valem um sorriso. Tudo isso é uma amostra da natureza humana. Não acredito que todos sejam assim. Mas aposto que a maioria faria a mesma coisa se tivesse a chance. O lema é se dar bem, e nem precisa ser letrado em História do Brasil pra chegar a essa conclusão. Basta olhar ao redor. 

Humanos gostam de enganar e de ser enganados. Gostam do teatro. Relacionamentos amorosos, especialmente os das celebridades, são campos férteis para esse tipo de demonstração corrupta. Fátima e Bonner, Angelina e Brad... Alguém acha mesmo que eram famílias de comercial de margarina? Com os cachorros, é muito mais simples: ou gostam, ou não. Não há publicidade nem encenação.

Sejamos honestos: Brangelina era puro marketing. Lindos de morrer. E mergulhados em traumas e vícios invisíveis aos meros mortais. As fofocas dão conta de que estavam separados há muito tempo. Assim como o casal global. Mas só agora tudo veio à tona, disfarçado de formalidade. Fomos enganados. Adoramos a farsa. Alguns latidos e rosnados teriam soado mais sinceros, porém menos espetaculares.

Sabemos, afinal, que o amor pode acabar. Pode virar amizade. Pode virar nada. Entre os humanos, fim de relacionamento virou circo. Entre os peludos, a gente nem repara que acabou. E sempre continuam amigos, percebe?


Não sei se os cães seriam tão leais e amáveis se soubessem se comunicar como a gente. Seriam também corruptíveis, volúveis, egocêntricos e malvados? A incapacidade de se comunicar com palavras e produzir cultura é um impeditivo para o caráter torto? Talvez.

Mas ainda tenho convicção de que todos, humanos e animais, temos uma natureza que se expande conforme as oportunidades. Os cães (e outros tantos bichos), sempre que estimulados, desenvolvem-se sem abandonar a lealdade, a amizade, o bem-querer. Agem por instinto e também pelo coração. Muitos de nós (racionais?) passamos vergonha.

Conheço boas pessoas, não vou mentir. Tão boas quanto os cães que já cruzaram o meu caminho. Mas, que me desculpem, não coloco a mão no fogo por nenhuma. Talvez porque eu tenha consciência das minhas próprias limitações, diante do esforço em me manter honesto, haja o que houver. Miro, portanto, os cães. Não os meus tristes semelhantes. 

Esse da foto é o Fred, cachorro adotado pelo meu companheiro. É um vira-latas simpático e estabanado. Pulou tanto em mim que cheguei a achar que a nossa amizade não daria certo. Foi questão de tempo até ele se acalmar, me lamber e perceber que prefiro ficar "na minha". Posou pra selfie. Ganhou petiscos. Simples assim. 

Mais simples só Marylin Monroe em sua perspicaz e elementar observação: "Os cães nunca me mordem. Só os humanos".

7 comentários:

  1. Ah Rô, que lindo o Fred !
    É meu amigo, humanos são tão egoístas até no simples fato de "adotar" um animal, pois preferem comprar, ostentar. Não são capazes de enxergar o amor através dos olhos de animais de rua, ou abandonados em abrigos. Preferem trancafiar pássaros em gaiolas, ao invés de plantar uma árvore para que possa vê los descansando nelas. Enfim, pessoas, humanos são tão sem noção ao ponto de negar amor gratuito. Por isso, eu prefiro os cães SRD ou "Rufos" como gosto de chama los, sem querer bancar a implicante ou protestar contra a venda de animais (mas já fazendo...rsrs), prefiro olhar puro e amor gratuito. Na verdade todos te direcionam o mesmo amor, sejam eles de raça ou sem. Agora, o "coisa" pra ser tão mesquinha como gente hein.
    Lindo, amo seus texto, sempre que posso apareço por aqui. Ainda quero poder conhecer o Fred pessoalmente.
    Bjus.....saudades mil.

    ResponderExcluir
  2. Faby, belas observações! Gosto muito quando comenta. Estamos todos te esperando por aqui para uma visita. Ricardo e Fred vão adorar conhecer você. E eu estou com muita saudade, venha logo! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, Rodrigo. Me chamo Danilo e gosto assistir telejornais e gosto quando as pessoas falam o que pensam e sentem e admiro o seu trabalho. Assistir a entrevista que você deu na record interior sobre o "lado B" e curti pois todos nós desconhecemos nossas habilidades e outros pontos de vistas diante a vida e a sociedade. é muito bom saber que existem pessoas que nos façam refletir , pensar e agir com um outro olhar. O auto - conhecimento.
    Se estiver algum erro de português na minha mensagem ignore ok!
    Espero conhecer algum dia conhecer você pessoalmente.
    Valeu!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Danilo. Agradeço a sua visita por aqui e os seus elogios. Fico feliz que admire a diversidade de pontos de vista (desde que bem embasados e livres de preconceitos, né?). Precisamos manter a mente aberta (e ocupada) para que o mundo e nós mesmos possamos caminhar para frente. Um abraço e volte sempre.

      Excluir
  4. Amigão, lindo esse texto. Ao ver a foto, lembrei da minha cadela Luna, que morreu atropelada por uma desgraça humana há 4 meses. É por isso que prefiro mil vezes os animais do que os humanos. A maioria deles são desgraçados, mesquinhos e metidos a sabichões. Desculpa se meu comentário pareceu duro, mas é a saudade que sinto dela que é enorme.
    Tudo de melhor pra você sempre, Zivi. Você é um máximo.

    ResponderExcluir
  5. Posso imaginar a sua dor, Andy. Perdi um peludinho em 2013 e choro até hoje. São seres, em alguns aspectos, muito mais evoluídos do que os humanos. Obrigado pela sua presença aqui no blog. Um abração pra você.

    ResponderExcluir