domingo, 9 de agosto de 2015

Sem Facebook

Deletei

Muita gente fica espantada quando descobre que abandonei o Facebook. O meu espanto é pelo inverso: por que permanecer?

Sou arredio com redes sociais. Os mais próximos sabem disso. No começo, até curti. Gosto de ver fotos. E achava divertido postar uma ou outra.

O pacote, porém, não me agrada. O Facebook vem com um monte de chatos, cutucadas, mensagens indiscretas e aquele eterno show de loucura e exibicionismo. Deletei. Sem vontade de voltar.

Não vou demonizar quem gosta de usar. Cada um na sua. Facebook, no meu caso, tomava um tempo precioso. E olha que eu nem entrava muito.

Percebo ainda que, pra muita gente, é quase um vício. Pode ser só impressão, mas os mais conectados parecem ser os mais tristes e problemáticos aqui fora. 

No Face, é preciso ter a carapaça dura para se proteger da artilharia pesada da autoafirmação. E das asneiras. É muito ignorante dando opinião sobre tudo e fazendo publicidade de si mesmo. Decidi, mais uma vez, simplificar a vida. Não passar nervoso. 

Descobri novas (e antigas) formas de entrar em contato com quem gosto. É maravilhoso viver mais o mundo real. O virtual tem limites. Tracei o meu.


Não sou avesso à tecnologia. Apenas a uso em meu benefício. Sinto falta de outras coisas, não de Facebook. Que, em muitos aspectos, está pior que o Orkut em sua fase mais bizarra.

O blog está em outras redes e plataformas. Quanto a mim, não quero que saibam o que estou comendo, se fui para a academia, se estou namorando, se tirei férias, ou se troquei a cueca preta pela vermelha.

"O anonimato é a fama do futuro". A frase é do ator John Boyle e me identifico com ela. Significa que excesso de exposição ficou cafona.  

Já tenho este espaço aqui para expor ideias e pensamentos. Da minha vida, cuido eu, na companhia de quem eu escolher. A minha timeline fica no coração. Ficou curioso pra ver? Paciência.

**Nota do autor: antes de alguém me acusar de hipócrita, ativei recentemente um perfil no Facebook, para poucos, através do qual mantenho contatos profissionais, principalmente por conta do mestrado. Posto quase nada. Sim, um mal necessário.

14 comentários:

  1. Respostas
    1. E eu adoro sua presença aqui, Camila. Volte sempre, minha querida. Bjos.

      Excluir
  2. Eliane Brum recentemente escreveu na sua coluna: "o strip-tease das almas nas redes sociais"...
    Humberto Guessinger toca muito nesse assunto da super exposição também.
    Montesquieu em Cartas Persas já havia descrito esse comportamento, em tempos tão remotos que não tenho certeza da já utilização de pombos correio.

    Ainda assim, é bom poder lê-los em suas exposições.

    ResponderExcluir
  3. Digamos que minhas exposições são mais despretensiosas, Ju. Rsrs.

    E tô fora desse strip de almas nas redes. Meu strip é para poucos privilegiados. O de alma e o outro também, haha.

    Obrigado pela sua sempre culta colaboração aqui no blog. Bjo.

    ResponderExcluir
  4. Adorei, é minha opinião também, assino embaixo.Não estou mais conectada no face e não faz a mínima falta e quando as pessoas se espantam do porque que eu deletei dá vontade de mandar p aquele lugar e principalmente mandar lavar uma trouxa de roupa suja, que faz bem.....bjosss da siga.

    ResponderExcluir
  5. Kkkkkk
    Adorei seu comentário, Siga. Ri alto. A trouxa de roupa é sempre uma terapia. Beijão do maninho aqui.

    ResponderExcluir
  6. Ótimo. Minha mãe deletou o face pelo mesmo motivo. Li o texto pra ela e ela assinou embaixo. Eu também assino. Sensacional!

    ResponderExcluir
  7. Toca aqui, Laís! Toca aqui, mama! Rsrsrs. Gosto muito quando você passa por aqui, minha querida. Só agrega! Beijão.

    ResponderExcluir
  8. Oie, isso aí Zivi! Manter distância do que nos faz mal é a melhor atitude a ser tomada. A vida é curta, pena ou não, passa rápido! Em nossas vidas devemos cultivar ao máximo tudo o que nos faz bem. O resto, dentro do possível, a gente deleta. Luzes em sua vida, amigo! bj (Rose)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manter distância do que nos faz mal. Está aí uma cláusula pétrea na minha vida. E como isso dá certo, minha querida amiga Rose!

      Tenho uma outra amiga que me diz assim: "Olha pra frente, não se distraia com os lados nem com o que ficou para trás".

      Facebook, de certa forma, é se distrair, olhando para o lado, vendo o que, quase sempre, não presta. Pra mim, já deu.

      Até a próxima, Rose! Beijo!

      Excluir
  9. Adorei seu texto e concordo com tudo que você escreveu. Me fez pensar se ando me expondo muito nas redes sociais. Creio que hoje as redes sociais passaram a ser uma espécie de vício moderno. Só preciso ter "coragem" pra fazer o mesmo. Acho que conseguirei....Beijos. Você é show, meu amigo. Jaime

    ResponderExcluir
  10. O Face tá tão "out", meu amigo. Tão cafona aquilo. Cai fora.

    ResponderExcluir
  11. Blog muito interessante,texto bravissimooooo...

    ResponderExcluir