sábado, 21 de março de 2015

Excluí você

Foi pra lixeira

Austin, estudioso da Linguística, diz que, por trás de todo discurso, existem três camadas de compreensão: o que está dito, o que se quis dizer e o que se entende do que foi dito. Famoso pela teoria dos atos da fala, o britânico não poderia prever que "falar" e "clicar" se tornariam quase sinônimos em tempos de redes sociais.

A exclusão de "amigos" do Facebook, essa nova forma de punição social, é um exemplo de como o discurso, disfarçado de clique, pode ser interpretado de mil maneiras.

Fiz uma enquete. As respostas foram surpreendentes. 

Sandra Torres é categórica:
 "Zivi, se a gente se preocupar com coisas insignificantes, a gente perde tempo para ser feliz. Se a pessoa que excluiu achou melhor assim, creio que tem esse direito. Afinal, a rede é social, mas a página é pessoal, né?".

É. Mas, para o Renato Nato, a coisa é assim:
"No caso de ser excluído, tenho duas reações: se for um amigo próximo, entro em contato pra saber se realmente foi ele, ou se foi erro do Face, pois esse erro existe e já aconteceu, não só comigo, como com amigos que realmente não tinham me excluído, nem eu a eles. Se for um daqueles que não interagem, que só aparecem quando o cometa Halley passa, aí eu já fico na minha".

Jéssica Amorim é do meu clube: 
"Sou tão desligada que nunca sei se alguém me excluiu. A única pessoa que excluí foi meu ex, porque ele me bloqueou primeiro. Mas eu, sinceramente, não tô nem aí. O que faço é tirar do feed de notícias, porque filtro o tipo de notícia que quero receber".

E olha só o que a Camila Jacob respondeu:
"Esse assunto rendeu muito na faculdade. Uma professora do nosso curso escreveu um texto, explicando os motivos pelos quais excluiria pessoas da sua rede social. Resumindo, ela disse que não quer conviver com fascistas. Imagina só o que gerou isso!".

Eu também já excluí. Pouca gente. Hoje, exceto por casos extremos, prefiro ignorar e fazer a política da boa vizinhança. De vez em quando, descubro, meio sem querer, que alguém preferiu me mandar para a lixeira. All right. Afinal de contas, não sou top ten em todas as paradas de sucesso. 

Voltando a Austin, quando tiro alguém do meu Face, a equação linguística é simples. O que está dito: excluí você. O que isso quer dizer: você não é importante. O que você pensa ou entende disso: não me interessa.

No sentido inverso: você está dizendo que me excluiu. Foda-se o que isso quer dizer. Mas entendo que talvez queira me punir pela falta de atenção (não correspondi ao flerte?), ou identificação (super acontece, afinal sou sui generis, minha autoestima manda beijos). 

Ou ainda...será que se encontrou em alguma situação descrita neste blog sincero e safado? Neste caso, eu julgo: são assim as pessoas incapazes de conviver com a diversidade de opiniões (desde que bem fundamentadas e não resvalem no discurso do ódio, sublinhem).

Excluir, bloquear, deixar de seguir, enfim, é a repulsa em nova roupagem, embrulhada num pretenso discurso, produzindo um sentido, a depender da interpretação.

No coloquial: como reagir à rejeição, num mundo (planeta Facebook) onde a luta diária é para ser aceito, querido, curtido, às custas de uma realidade construída, quase fake?

Tem gente que, tamanha a necessidade de aprovação, praticamente se mata, crente de que a exclusão, no campo virtual, é prova de desamor, um golpe baixo. No meu caso, indiferença define. Já que não inventaram uma tecla que simbolize as minhas rugas de preocupação.  

6 comentários:

  1. Oiiii Rô!!!! curti mto o texto de hoje!!! e concordo plenamente com Sandrinha!!! existem coisas mais importantes no mundo real para nos preocuparmos e para sermos felizes! ate pq amigos de verdade a gente guarda e sempre curti aqui ò : "no coração de carne" ( vcs estão aqui no meu "Rebel Heart" tatuadinhos) !!! Mas já aconteceu comigo, vc lembra q te contei de uma pessoa q excluiu a mim e a outras amigas talvez pq não ficavamos curtindo ou comentando o q essa pessoa postava...sinceramente ... choramos... de rir kkkkkkkk !!!! ah e teve uma vez, uma pessoa conhecida minha, que me excluiu por motivos religiosos...( diria ate q homofobicos ...) só pq publiquei um post onde dizia q não há diferenças quando se ama, e olha q a pessoa me criticou depois pessoalmente... ahhh, excluir foi um favor que me fez!! Pq odeio preconceito, racismo, e tudo mais q impedem as pessoas de serem felizes!!! Acho assim, que rede social é apenas uma pagina onde se publica o que a pessoa "acha" que é legal, um video q achou engraçado, uma foto bonita etc, e não um palco onde se interpreta um personagem perfeito e que devemos por obrigação aplaudir ( curtir ne...) !!! e se quer "privacidade", entao não publica ( ou melhor , q a pessoa nem tenha face, sonico, instagram, badoo, ask me e o diabo a quatro kkkk) afinal a rede é social... eu particularmente aceito sem problemas quem me envia solicitaçoes, ate hoje so exclui "fakes" ou figurinhas mal intencionadas, acho q é um direito o de "ir e excluir" das pessoas!!! viva o livre arbítrio!!! Enfim, se a pessoa me excluiu : "Tú nem ai"!!! O importante, acima de tudo tem nome : RESPEITO !
    E sabe de uma coisa, esse lance de excluir, somente para pirraçar, é "mimi " demais, coisa de gente que não tem ideais e sonhos ( reais ) suficientes para ir a luta e alcançar. Que vá então arar uma roça, lavar uma pia de louça, um tanque de roupa suja, tirar leite da vaca, enfim que vá fazer algo de útil !!!
    Meu amado amigo curto vc pra vida inteiraaaa!!!! E sempre, sempre vc vai estar add não somente em todas as minhas redes sociais, mas principalmente aqui no meu coração !!!! bjusss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fui adicionado ao coração, nada nem ninguém tem o poder de me excluir, rsrs.

      Obrigado, Elaine, pelas belas palavras e mais um comentário bacana aqui no blog.

      Somos irmãozinhos de alma, e isso vai muito além das redes sociais. Bjos e mjuito amor pra gente.

      Excluir
  2. Perfeito, eu estava ansioso pra ver o que rolaria nesse post. Realmente é tudo isso que foi comentado aqui. Uma mistura de tudo mas que com certeza todas elas mostram um pouco das nossas reações. Mundo virtual, exclusão, ainda bem que não cheguei ao ponto de me matar quando isso acontece. A vacina da auto-estima eu tomo todos os dias pra poder continuar vivendo nesse nosso mundo, quase fake, como você disse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Renato. Se tá vacinado, tá tudo certo. Proibido dar importância ao que não tem. Abraços, meu querido, seja sempre bem-vindo aqui. Abraços.

      Excluir
  3. Oi Zivi, tudo bem? Sinceramente, eu ainda não fui excluída e também nunca excluí ninguém. Tem pessoas que apenas ignoro. Concordo com o Renato, se eu descobrisse “por acaso” que fui excluída, dependendo, investigaria o motivo. Caso contrário deixaria pra lá. Não vale a pena perder tempo com o que não faz diferença. Se pensarmos bem, entre verdadeiros amigos não cabe a palavra exclusão, e se couber é porque não era amizade verdadeira. Choraria por um prazo determinado (no máximo 2 min, rsrsrrsrsrs). A exclusão dá espaço para o novo! Mas, a política da boa vizinhança ainda é bem vinda. Gostei muito do texto e adorei a tecla que simboliza as rugas, rsrsrs. Bj! Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na enquete, Rose, o que me surpreendeu foi a sensatez das respostas.

      Mas já conheci pessoas que se dizem sentir ofendidas caso sejam excluídas, não tenham curtidas ou mesmo não sejam convidadas para eventos cujas fotos aparecem no Face. Engraçado isso, não?

      O mundo virtual acabou se tornando um terreno fértil para desafetos. E, dependendo da atitude (ou do clique), ganhamos a simpatia ou até a exclusão, rsrs. Obrigado pelas visita, como sempre. Bjos.

      Excluir