segunda-feira, 21 de abril de 2014

Flechado?

Fazendo as pazes com o cupido

Eu andei meio brigado com meu cupido, desde que me separei. Não pelo término do relacionamento, uma tragédia anunciada. Mas por ele se recusar a me colocar de volta ao jogo. Até que eu entendi o motivo: apaixonar-se de novo não pode ser um projeto nem um capricho.
 
O passo mais importante eu dei: abracei o amor e a gratidão que sempre vou sentir por quem dividiu a cama e a vida comigo. Desde então, conheci e reencontrei algumas pessoas interessantes. Em meio a esse processo, comecei a entender que o problema não estava com o cupido, doido pra disparar a flecha. O meu maior inimigo na busca pelo amor sou eu mesmo.
 
São meses de aprendizado que equivalem a anos de terapia. Pra não dizer que não quis ninguém, fiquei ouriçado por duas pessoas. Uma, jovem demais. O flerte foi só pela internet. Gosto de pensar que, por meios misteriosos, Deus me protegeu de um desastre. A outra, apressada nas declarações de amor. Eu, com pressa pra outras coisas. Acabamos nos atropelando. 
 
Entre encontros e desencontros, descobri que sou sadomasoquista e infantil. Ando beijando quem é arrogante e finge descaso. Ou quem está de passagem, geralmente de outros estados. Isso me excita. Quem é muito bacana, via de regra, não tem chance. Tenho um fraco por gente bonita, imatura e que, de um jeito ou de outro, vai me testar. Para o bem da minha saúde mental, resolvi quebrar esse padrão. Começo hoje. Um dia de cada vez.
 
A elevação do padrão de pensamento e, por consequência, do coração, não acontece de uma hora para outra. É um exercício que precisa de adequação psicológica e até sexual. Querer quem me quer e me animar com isso: eis o desafio. Mais: ser bonzinho comigo mesmo.
 
Nos tempos de casado, eu era o reflexo do equilíbrio e da sensatez. Como solteiro, me conheci mais impaciente e inconsequente. Quando conheço alguém, ao menor sinal de que a coisa pode desandar, eu chuto o balde sem dó. Se o gosto musical é muito diferente do meu, eu chuto o balde. Se é muito família, eu chuto o balde. Se ainda tem ex na jogada, eu chuto o balde. Sou, em suma, um homem que chuta pra longe aquilo que mais quer. Sou o cachorro tentando morder o próprio rabo.
 
Pior: se eu percebo que ganhei a simpatia e o interesse, começo a me auto-sabotar. Entro numa espiral de atitudes, movido por um inconsciente às vezes doentio, para reverter o processo. Tenho prazer bizarro em mostrar o quão independente, cruel, charmoso, contraditório e canalha posso ser. Se depois de tudo isso, a pessoa ainda me quiser, é quase um orgasmo.
 
O cupido me deu um puxão de orelha na noite passada. Disse que, na vida, existe "timing". Se a gente não souber a hora certa de agir certo, o bonde passa e vai embora. Mas ele não desistiu de mim. Falou que eu só vou me apaixonar de novo quando eu estiver pronto, disposto a me ver livre dos vícios que, até hoje, uniram prazer e sofrimento. E veio do cupido a melhor notícia de todas: a de que a espera vai valer a pena. Basta que eu fique atento aos sinais.
 
Depois de fazer as pazes com o cara da flecha, fui dormir. Antes, chequei minhas mensagens no celular e lá estava um texto de Paulo Coelho, enviado por uma amiga, sobre o tempo certo das coisas, que não adianta ter pressa. Tem hora pra tudo. Pra mim, foi prova divina de que nada é por acaso. E que se eu realmente quiser progredir, o universo inteiro vai conspirar a meu favor. Eu quero. Pode me flechar, cupido. Já abaixei a arma e o escudo. Mas...por favor...não se esqueça de flechar a outra pessoa também.

11 comentários:

  1. Karaka, adorei esse seu momento divã! Dei altas risadas, principalmente quando se declara sadomasoquista e infantil! Acho que exagerou um pouquinho rs! Acredito que com o passar do tempo nossas experiências vão criando uma espécie de armadura a qual chega a desfocar o que verdadeiramente somos. Larga mão de ficar chutando o que mais quer, desfaz dessa armadura, e vai ser feliz amigo! torce pro cupido flechar a outra pessoa também. To aqui na torcida! Abração :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saulo, só agora que estou me dando conta do que andava fazendo. Deixar a armadura de lado vai ajudar. Mas tem os outros fatores também, inclusive uma ajudinha do cupido. Eu aprendi a ter paciência, especialmente comigo. O jeito é esperar. Ainda não senti a flechada, não, rsrsrs. Paciência com o cupido também, acho que ele sabe o que faz. Tudo a seu tempo.

      Excluir
    2. Ziviani meu amigo, sábias palavras cara! Adorei demais, pude ate entender melhor as coisas que acontecem comigo. Um forte abraço cara!!!

      Excluir
  2. Meu amooooooooooooor....separou???? (Lamento profundamente...ou não???). Enfim, isso só me contando...

    Eu separei, depois de 25 anos de um casamento equivocado, feliz pelo casal de filhos lindos que demos um ao outro, mas precisávamos cada um seguir sua vida. Não fazia mais sentido algum manter algo morto..

    Faz 3 meses essa pequena-grande revolução. Ainda estou em franca recuperação...a dor de sentir o enorme tempo que perdi ainda insiste em me afligir. Faço 50 anos no mês que vem...(por que não separei aos 40?). Enfim...toca pra vida, moooooooooço, que é pra lá que eu vouuuu! kkkkkk

    Meu querido, vc continua lindo né? E que Deus te abençoe e que se for pra ser mesmo, se não tiver mesmo outro jeito...que seja. Mas que vcs sejam felizes. Não esqueci vcs, jamais...

    Beijo grande. Ah, também estou me sabotando he he he ...(Gata escaldada tem medo de água fria).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, mas quanta saudade de você e de seus comentários espirituosos, minha querida! E que bom saber que a sabotagem dos próprios propósitos não é um privilégio meu, hahaha!

      Sim, nos separamos no ano passado, mas está tudo lindo. Foi em comum acordo, e o amor, quando é de verdade, nunca morre, apenas se transforma.

      Sobre a tua sensação de perda de tempo, não se engane: todos sentimos. Eu senti também. Por que não me separei quatro anos antes? Haha! É normal.

      Você pelo menos tem um um lindo casal de filhos que faz tudo valer a pena. Eu consegui um album de fotos, rsrsrs.

      E não se aflija com os cinquenta anos. Você é linda, inteligente, uma mulher pra colocar qualquer mocinha no chinelo. Você é Madonna, lembre-se disso. Poder!

      Tô aqui, torcendo pelo teu melhor. Quanto a mim, fique tranquila. O caminho da redescoberta do mundo e de mim mesmo tem sido ora melancólico, ora divertidíssimo!
      Equilíbrio, enfim. Um beijo enorme!

      Excluir
  3. Q delicia de texto!!Posso me sentar aqui nesse divã contigo??Um "divã pra dois" entao!!kkk, da um espaçinho aqui, uii sentei rsr, coube!!Sabe Rô, esse texto me fez pensar, de como a vida é engraçada, q o ser é humano sinistro e toda fase da vida tem prazer e medo!!Nossa quantas coisas já fiz, qtas situaçoes já vivi, quanta insensatez, não sei se lembra ( alias peço a Deus que não se lembre ...) mas foi devido aos murros em facas afiadas, burradas insanas, e tudo mais, que aprendi a dar valor em quem mereçe, a amar quem me ama, a preferir ter paz, conforto e segurança em meus sentimentos e relacionamento!! Mãsss como estamos aqui nesse divã...seria hipocrisia não mencionar que, as vezes dá saudade sim, da procura, pq junto a ela temos algo terrivel chamado : paixão!!!ahhh essa sim, libera serotomina, adrenalina, hormonios q nos fazem voarrr! sabe, o gostoso de um relacionameno é isso : conhecer o alvo, tentar adivinhar seus pensamentos, e fazer parte deles, saber seus gostos e desgostos rsrs, pq a pessoa em evidencia é um misterio, fascina, ainda não tem defeitos...chega a ser perfeito!! Só que qdo tudo isso acaba... das duas uma : sobrevive e vira amor...ou...vira equivoco do destino!! ai qtos equivocos já tive ate chegar onde estou, agora bem, tranquila, feliz. Mas ate chegar a esse consenso, meu amigo, te digo ser humano é cruel consigo mesmo, pq gosta de sofrer, gosta de nadar contra a maré, mas pra mim não basta so amar quem me ama... pra mim precisa de mais, tem q ter companheirismo, saber que o que penso e como penso, e q as vezes mesmo sendo contraditorio é meu jeito de ser, e não vou mudar por mais que isso seja correto!!!( Nossa Derson sofre coitado kkkk, mas sofre no paraiso tá haha), Sabe Rô, todos temos sim nosso lado pueril, essa é a vitamina da alma, faz parte da essencia, pq essa infantilidade tem sonhos, tem planos, tem ilusões, coisas gostosas que nos dão força pra lutar, recomeçar e concretizar, as vezes penso que a vida poderia nos fazer personagens de filmes, que cada fase tivesse um final feliz e depois começasse outra fase, outro personagem, outro filme, poderiamos viver comedias, dramas, romances e ate terror, pq não??!!Mas olha, de coração vc é mto especial, amo mto vc, e que venha sim uma pessoa especial tambem, que te faça bem, que te compreenda, seja companheira, q te faça muito feliz!! ahhh e que tenha um excelente gosto musical, é o minimo que vc meu amado amigo merece!!


    "Eu procuro um amor
    Que ainda não encontrei
    Diferente de todos que amei


    Nos seus olhos quero descobrir
    Uma razão para viver
    E as feridas dessa vida
    Eu quero esquecer


    Pode ser que eu a encontre
    Numa fila de cinema
    Numa esquina
    Ou numa mesa de bar


    Procuro um amor
    Que seja bom pra mim
    Vou procurar
    Eu vou até o fim" By Frejat



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elaine, vamos por partes.

      Primeiro: adoro essa música do Frejat. E ela nunca fez tanto sentido como agora na minha vida, hehe.

      Segundo: quem não quer amar, se apaixonar, ver a vida mais colorida, não é mesmo? O problema é que, comigo, a paixão é um evento raro. Acredite, já encontrei gente bacana, que daria um bom "casamento". Mas não rolou aquela faísca, sabe? Pelo menos da minha parte. Sem essa faísca, não abro mão da minha liberdade e da minha paz.

      Terceiro: pode se sentar no divã comigo sempre! Conversar com você é uma terapia das boas. Fico muito feliz que esteja onde quer estar. Eu também estou, me sinto bem. Se pintar alguém, vai ser para transbordar.

      Quarto: o pior é quando bate carência. Eu começo a ver amor onde não tem, oportunidade onde não tem, começo a achar interessante quem não é, hahaha! Nessas horas, os amigos puxam a gente pra realidade. Eu conto até dez, espero a carência passar, e tudo fica lindo de novo, rsrs.

      Por último: te amo, minha amiga linda. E não digo isso por carência, não. É amor mesmo, de um amigo pra toda a vida. Bjos e muita luz pra gente!

      Excluir
  4. Tive um lance de identificação com a parte da auto sabotagem...tenho tentado fazer as pazes com o carinha da flecha mas parece que o magoei tanto que ele me abandonou..enfim...Quem sabe um dia eu me encontrei. Amei o texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calma, Cris! O cupido eh um cara compreensivo, desde que façamos a nossa parte. Reconhecer que a gente pisa na bola não eh fácil! Um beijo.

      Excluir
  5. Acho que todos já nos sabotamos em algum momento ou estamos nos sabotando e ainda não reconhecemos isso.
    Que bom que conseguiu chegar a essa conclusão sem a necessidade de uma terapia, esse já foi o meu caso mas valeu a pena.
    Chutar o balde acho que foi minha especialidade.
    A receita para ser flechado é isso que mencionou estar fazendo querer e estar atento aos sinais.
    Que a flechada seja mútua!

    Fiquei curioso quanto ao livro, tentei localizar no site da editora mas não o encontrei.

    Se possível ponha o link para os interessados. =)

    ResponderExcluir
  6. Fabrício, sempre é tempo de reconhecer até onde o Cupido tem culpa e até onde também temos responsabilidade pelos insucessos da vida amorosa.

    Olhar pra si mesmo é o passo mais importante rumo às mudanças e a realização. E a mudança de comportamento e padrão não é nada fácil! Fico feliz que, pra vc, já tenha funcionado!

    Quanto ao livro, mande seu pedido com dados (endereço etc) para o meu e-mail (rodrizivi@yahoo.com.br). Eu envio o exemplar pra vc pelo correio.

    Abraços e volte mais vezes!

    ResponderExcluir