domingo, 9 de setembro de 2012

Para os ouvidos

Eu quero que você saiba...

...que eu gosto de Kelly Clarkson e não tenho vergonha de admitir. Seguinte: puxei o novo CD. Seria um presente para a minha irmã (happy bday!), mas o presente também foi para mim. Uma grata surpresa. Descobri joias raras no mais recente trabalho da rechonchuda. Aliás, o fato dela ser gordinha é um plus (sem trocadilho), nesse mundinho escravizado por padrões esqueléticos, especialmente no showbiz.

Kelly Clarkson foi a primeira e grande vendedora do "American Idol", programa que surgiu na TV norte-americana em 2002 e está em franca decadência. De todos os ganhadores até hoje, é a única que consegue se manter com dignidade e talento nas paradas. O estouro do segundo disco, "Breakaway" (a faixa "Because of You" foi tema de novela por aqui), elevou a cantora ao patamar de superstar, porém gerou uma depressão, superada recentemente, depois de muita briga com a gravadora sanguessuga. 

Após alguns álbuns muito bons e sem grande fanfarra, Kelly Clarkson voltou a emplacar com "Stronger". Pode não conseguir o mesmo desempenho de antes, mas é uma obra a ser reverenciada. Crédito para a artista (o gogó nunca esteve tão potente) e para a produção, caprichadíssima. 

Para quem nunca deu uma chance à cheinha mais simpática e talentosa do pop (e muito melhor que a chatíssima da Adele), sugiro se despir dos pré-julgamentos e se deliciar com a voz à la Pink dessa moça, acostumada a cantar os dissabores do amor e a declarar independência emocional diante de uma realidade que tenta nos amarrar a pessoas e coisas sem importância. 

"Stronger", o álbum, é minha trilha sonora antes de dormir há mais de uma semana. Tem os pontos baixos, em que Kelly soa muito adolescente, no estilo de Paramore ou Avril Lavigne, mas os altos compensam. 

Destaco dois: "Alone", com cara de megahit e perfeita para terminar com aquele bundão que te atrasa a vida há tanto tempo; e "Honestly", uma balada lado B, meio dark e pesada, com pouco açúcar, mas muita emoção, tipo trilha de filme descolado. "Você pode me encarar, me fazer ouvir a verdade, mesmo que me machuque? Pode me julgar, me amar, e se estiver me odiando, faça-o honestamente", diz a letra. Impossível não atender a um pedido tão direto. Clique nos links e curta a viagem!

11 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkk Não vou brigar com você dessa vez por chamar Adele de chatíssima kkkk eu perdi um pouco a admiração por ela depois que, no auge, resolve se apaixonar e engravidar. Tenha dó, vai ser burra assim lá em Londres, powww. Será que toda diva só quer no fundo isso? Laçar um cara e parir? Ah nemmmmmmm que preguiça!
    Bem, sobre Kelly, te aplaudo pelo post: ela é demais! Eu a sigo desde sempre, super gogó, linda de viver, tesão de mulher e representante da minha tribo. kkk As cheinhas são foda, isso é fato. E isso também tem a ver com a qualidade vocal, se emagrecer afeta o vozeirão.
    Um beijo meu lindo, adorei.

    ResponderExcluir
  2. Eu já tinha dito e repito, Maria Tereza: a Adele pode ter um vozeirão, mas é uma mala sem alça, sem inteligência emocional alguma. Para ser diva de verdade, tem que ter atitude, estilo de vida! E ela está longe disso.
    Também não considero Kelly uma diva. E acho que essa nem é a pretensão dela. A moça é simples demais para isso e canta muito, além de ajudar na composição das próprias faixas. Curioso descobrir que as melhores músicas dela não vão para o rádio. Viva a internet! E a tribo das cheinhas! Obrigado pela visita, mais uma vez.
    Embora não esteja comentando muito, tenho acompanhado seus blogs. Nossa, como vc escreve, menina de Deus! Nem consigo dar conta, rs.
    Bj enorme!

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não acompanho o trabalho de Kelly Clarkson. Conheço algumas poucas músicas. Mas agradeço a dica de "Alone". Será útil, muito.

    ResponderExcluir
  4. Que bom, Rafael. É, atualmente, a minha preferida. Simples, direta, melodia pegajosa e uma letra que é um tapa com luva de pelica nos cheios de si. Abraço e seja bem-vindo!

    ResponderExcluir
  5. Rsrs, ok, Má! Prepare os ouvidos para o fim de semana. Evem com fome. Vai ter pizza e música boa.

    ResponderExcluir
  6. É bom estar aqui novamente..faz algum tempo que não comento, afinal tem faltado o tempo para boa leitura, etc...
    Acho que não tenho bom gosto pra música fui na sua dica ouvi e não me "encontrei"....rsrs
    Estou mais para 30 Seconds To Mars - Closer To The Edge.
    Grande abs, Tiago.

    ResponderExcluir
  7. Fique tranquilo, Tiago. Se não rola identificação, não significa que vc tem mau gosto. "30 Seconds to Mars" é ótimo e tb já sugeri. Ab!

    ResponderExcluir
  8. Boa noite:

    Sou (também) Rodrigo e escrevo de PORTO ALEGRE.
    O "conheci" há algumas horas... Numa reportagem de algum telejornal.
    Fui navegar na Internet e achei o blog_bem legal!
    Sobre a cantora acima - também curto tal; talvez minha música favorita seja "BREAKAWAY"... Dificil alguém não gostar!
    Parece que ela já veio ao Brasil fazer shows.
    E sobre JORNALISMO, mostra ser uma carreira bonita/dinâmica: onde se corre um errado perigo (perigo nos dias de hoje seria até comum).
    É isso. Sucesso aí nas entrevistas/apesentações.

    Abraços,
    Rodrigo Rosa

    http://rodrigo-arte.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Fala, Xará! Seja muito bem-vindo. Deve ter me visto no Jornal da Record, certo?
    Então, a Kelly Clarkson veio ao Brasil este ano para shows no Pop Festival. Queria muito ter ido, mas não deu. "Breakaway" é, sem dúvida, uma das músicas mais bonitas dela.
    Vou dar uma passada no teu blog depois. Obrigado pela visita! Abraço.

    ResponderExcluir
  10. De nada! E foi na 'Record! que o vi...

    Abraço (Rodrigo)

    ResponderExcluir