domingo, 26 de fevereiro de 2012

Me poupe

Ai, não, para!

Chega dessas fotos mostrando café, sorvete, comida japonesa, porção de batata frita, chega! Você não me engana. Não está tão gostoso quanto parece.

Chega de postar você e o seu morzão, abraçados na ilha da fantasia, na cama dos sonhos, no jardim perfeito da vovó. O que é de verdade não precisa de publicidade nem autoafirmação.

Chega dos flashes com a família dó-ré-mi, você e seu bebê com cara de joelho, gritando para o mundo que ter filhos é padecer no paraíso, enquanto tenta se convencer desse engodo, feito sob medida aos desprovidos de personalidade e culhões.

Chega dos cliques nas festas incríveis, onde você aparece com roupa chique e maquiagem caprichada, tentando provar sua pseudo-beleza a um mundo que adora um photoshop na alma.

Chega das poses com os centenas de amigos no carnaval mais animado, no acampamento mais descolado, no retiro mais harmonioso e na pizzaria mais disputada. Sabia que amigos de verdade, para o que der e vier, são uma lenda?

Chega das frases feitas e pretensiosas, como se você tivesse conquistado alguma sabedoria, algum mérito, como se tivesse lido algum livro relevante. Só sabe repetir, copiar e colar, tem síndrome de papagaio.

O verdadeiro conhecimento descansa no silêncio dos que sabem colocá-lo em prática, não no limbo virtual, povoado de ideias vazias e perecíveis.

Chega desse constrangimento de mostrar a todo mundo o que comprou na sua última ida ao shopping. Tem CDs, DVDs, cupcakes, a última temporada de Lost? Preferia ver um episódio ao seu lado, durante uma conversa despida de vaidade, em que me mostraria algo mais abstrato e menos tolo do que essa ânsia besta de exibir a matéria.

Chega de postar essas fotos da despedida cafona da turma do trabalho, a desculpa perfeita para você gritar a plenos pulmões como está sendo fabulosa a sua promoção.  

Chega das charges engraçadinhas. Elas só me arrancam um sorriso amarelo e não são prova alguma de sua suposta espirituosidade. 

Chega do diário do seu cachorro, das fotos de estupradores punidos com a mutilação de seus pênis, das suas sugestões vergonhosas de músicas e videos. Pior do que isso só mesmo você postando suas fotos ao acordar, em ação no trabalho, comendo pastel, fazendo carão, só para se convencer de que tem charme a qualquer hora. Parou pra pensar que talvez não tenha uma vida?

Ah, me responda: dar bom dia no Face, assim que você abre olhos, ou boa noite, quando bate o sono, não é o cúmulo da dependência, da solidão, do vício e da luta pela sobrevivência?


Status: "Mais feliz, impossível"? Para mim, a prova definitiva de que a felicidade, essa bendita que perseguimos diariamente e que, vez por outra, dá o ar da graça, não faz nem sombra nesse universo mambembe, embaçado, desequilibrado, recheado da falsa e incompetente propaganda que cada um faz de si mesmo.

Por que eu estou aqui, então? Pelo blog, embora num momento de hesitação. Para exercitar minha paciência. Para achar graça e tristeza na humanidade. Para me solidarizar com os apaixonados pelos animais, estes, sim, seres iluminados e autênticos.

E para discutir as últimas e frívolas novidades sobre a Rainha do Pop. Afinal, como seria possível tanta ojeriza a esse seu planeta se eu mesmo não tivesse uma pitadinha de futilidade?   

11 comentários:

  1. Olá, eu ouvi ótimos comentários sobre o blog e chego e me deparo com esta postagem, fiquei um tanto chocado e digo p/ o blogueiro, meu amigo, vc realmente esta apaixonado por esta "pessoa tão feliz" que esta descrevendo, mas acredito no amor, então deixe estas diferenças de lado e invista, seja feliz com a "pessoa feliz" afinal a vida é curta... bjus

    ResponderExcluir
  2. É, Rô, percebe que, diferentemente dos últimos posts, suuuper comentados por aqui, neste os internautas leram e não tiveram resposta? Acho que muita gente encontrou identificação, mas não vai se manifestar porque vai continuar usando a ferramenta da mesmíssima forma (critica aqui por você).
    Vou dividir o que penso porque concordo contigo em grande parte das ideias expostas no texto mais ardido que pimenta malagueta.
    O facebook tornou-se sim fuga para a solidão, para o vazio; mas até que não consigamos manter as famosas bases que nos sustentam (Deus, amor, família, trabalho, etc), continuaremos perdendo nosso tão precioso tempo. Como buscar? Cada um tem a árdua tarefa de descobrir durante a vida.
    Confesso que vou continuar partilhando fotos no facebook para que amigos, cujas rotinas divergentes impedem a proximidade pretendida, possam acompanhar um bocadinho daquilo que é importante para mim. Também fico contente quando reencontro pessoas importantes pela mídia social, enfim, vejo sim vantagens quando coloco a ferramenta na balança dos valores.
    Respeito a crítica e o seu alerta, mas pessoas vazias também existem aos baldes no mundo real. E, pra ser sincera, prefiro ignorá-las no mundo virtual a tê-las que suportar no dia a dia.
    Beijo, meu amigo azediiiinho!

    ResponderExcluir
  3. Lu, respeito seu ponto de vista. A internet, o Facebook, enfim, a vida eh aquilo que fazemos dela, certo? Mas, via de regra, quando damos muita publicidade a alguma coisa, eh porque estamos nos tentando convencer de uma mentira que, desesperadamente, tentamos mascarar. Bjos e thanks pelo contraponto.

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    Anonimo, acredito que nao tenha captado a mensagem do post. O texto eh destinado a cada um de nos que usa o Facebook com objetivos vazios. Anyway, seja bem-vindo.

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    ResponderExcluir
  4. Salve a "pitadinha de futilidade"!

    Mas que fique nesta dose e, principalmente, que esta seja consciente por sua necessidade.

    Great texto, Ro!

    ResponderExcluir
  5. Fique tranquilo, Matheus. Dose certa, sempre. Pelo menos vc entendeu, neh? Rsrsrs. Thanks.

    ResponderExcluir
  6. Cara, sou jornalista e adorei a sua sacada de mestre. Você dança com as palavras. Textos dignos e sábios.

    Ah, te vi agora pouco no Record SP. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Anônimo, faz um elogio desses e não se identifica? Pow! Rsrs. Que bom que chegou até aqui. Torne-se um seguidor. Abraço!

    ResponderExcluir
  8. hahahaha,
    te leio em doses diárias de pura humanidade, demasiadamente humana.
    reconhecimento em espelho e projeção. Até chegar ao nada, de onde nunca partimos. Grandes ou pequenas ilusões, para suportar o vazio.
    gosto do teu divã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou começar a cobrar pela consulta, rsrs.

      Excluir
    2. vou parar de comentar no teu blog.

      o.0

      Excluir
  9. Concordo em muitos pontos no seu texto, mas não acredito que o fato de dar bom dia ou boa noite, seja de uma suposta solidão, eu mesmo posto eventualmente, mas com o intuito de ter mais proximidade dos que são conhecidos e muito queridos, que na rotina diária, passo meses sem poder ver.
    Discordo quando criticam, falando que as pessoas postam somente momentos felizes, como se a vida fosse um conto de fadas, a minha vida mesmo não é, mas eu não acho que seja necessário expor minhas particularidades e por quê não dividir o que te faz feliz?
    De qualquer forma, opiniões controversas sempre irão existir e respeitar a opinião do próximo é o que nos faz merecer o respeito de todos
    Um grande beijo!!!

    ResponderExcluir