domingo, 25 de dezembro de 2011

Vale a pena ver de novo


 Adele 
e a novela das oito

Que Lady Gaga que nada! A ondinha agora é Adele, cantora britânica acima do peso que continua vendendo horrores de seu disco de corna, "21". Prova disso é ver até as faxineiras cantarolando "Someone like you" no ponto de ônibus. Só tem um detalhe: Adele estourou no Brasil depois que a música entrou para a novela das oito (hello, Griselda!). Antes disso, a maioria ouvia "Rolling in the deep" na FM sem fazer muita questão.
Assim, Adele entra para o time de cantoras consagradas momentaneamente pelo plim-plim. Lara Fabian, por exemplo, viveu alguns meses de glória depois que "Love by Grace" foi escolhida como tema da personagem de Caroline Dieckmann, vítima de leucemia. Nos anos 80, Tracy Chapman embalou o romance de Regina Duarte e Antônio Fagundes com "Baby can i hold you" e virou febre nos bailinhos adolescentes. O caso mais trágico e emblemático é o de "I wishing on a star", das Cover Girls, que tocava quando o casal Daniela Perez e Guilherme de Pádua enchia a tela. Daniela foi morta a tesouradas por Pádua no começo da década de 90, com a novela no auge. E a música, que passou a tocar até em quadra de escola de samba, foi apelidada pelos menos sensíveis de "o melô da atriz assassinada".
O que diferencia Adele dessa turma é que a cantora virou unanimidade também no exterior, sem novela, quebrando recordes (releia aqui). A pergunta é a de sempre: até quando?
Os mais otimistas dizem que Adele vai longe porque tem talento e boa voz. Os pessimistas, claro, dão mais 15 minutos. Adele é uma dessas cantoras que acontecem no momento certo e conseguem, mesmo sem querer, mudar o cenário musical. Com um punhado de canções sobre o término de seu último relacionamento, ela nadou contra a maré das estrelas pop e fez sucesso vestida, sem arriscar um passo de dança e cantando a dor do amor não correspondido. Quem nunca teve um? 
Musicalmente, a moça é muito competente. O problema de Adele está na imaturidade emocional, talvez este o motivo de ter sido largada pelo ex. Em suas entrevistas, entrega fácil a falta de autoestima e afirma, em alto e bom som, que deixaria tudo o que conquistou para voltar com o namorado, se ele quisesse. Fumante inveterada, declarou que prefere perder a voz a parar de fumar. Resultado? Adele teve hemorragia nas cordas vocais e passou por cirurgia. Só agora a cantora ensaia uma retomada da agenda de shows e a gravação do próximo disco. 
Adele é boa, mas teve sorte. Pena que não se dê conta disso. É quase uma Amy Winehouse às avessas. Indiferente ao próprio sucesso, pode ser esquecida, simplesmente porque não se interessa em tomar as rédeas da própria vida, da carreira, e fazer o que é certo.
Eu já cansei. Até porque conheço Adele desde que lançou "19", há um bom par de anos, e não suporto ver esse auê em torno da fofinha só agora. O tempo vai dizer se vale a pena manter "Set fire to the rain", a minha preferida, no meu mp3. Pelo menos até a próxima novela.     

12 comentários:

  1. Concordo com força!!! Adele – "Indiferente ao próprio sucesso, vai terminar sendo esquecida, simplesmente porque não se interessa em tomar as rédeas da própria vida, da carreira, e fazer o que é certo".

    DÚVIDA: de onde veio "Total eclipse of the heart"? Adoro a música, acho que deve ter sido o único sucesso da Bonnie Tyler, mas não sei como estourou...

    E aí, Ro? Inhaí... rsrs

    ResponderExcluir
  2. Matheus, "Total..." fez muito sucesso, mas a Bonnie Tyler teve outros hits, ainda que menores. Curiosamente, "Total..." tambem foi trilha de novela aqui no Brasil, nos anos 80. Por isso, ficou muito conhecida aqui, claro. Bj!

    ResponderExcluir
  3. O aparente "não ligo pra nada" também é uma forma de vaidade. Vestir-se mal, ser gordo, fumante ou outras características propositais não passam de uma forma de tentar ser notado, de pedir atenção. Quem tenta passar a ideia de que não quer atenção, necessita ser percebido ainda mais do que as outras pessoas que, pelo menos, são mais honestas.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Ricardo! Pois é, concordo com você. Mas a questão com Adele não é nem essa. É, principalmente, o fato de ignorar a própria saúde e o sucesso, em nome de um amor que a destruiu e, ao mesmo tempo, deu a ela seu melhor disco até agora. Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Publiquei o seu comentário, porque não retiro uma letra do que escrevi.

      Como sei o que é certo? Certamente não é fumar até as cordas vocais sangrarem.

      Excluir
  5. creio que as composições de adele, assim como sua interpretação fantástica, têm origem em uma sensibilidade que pode ter nascido exatamente do caráter melancólico e rebelde da moça.

    seu ponto forte talvez esteja mais ligado a sua fraqueza do que imaginamos.

    tal qual acontecia aos poetas do mal do século, que, acometidos de muita dor, revolta, tristeza e vício, se refugiavam nas letras e compunham lindos poemas, tenho pra mim, que adele tem a arte mais como refúgio do que como forma de ganhar dinheiro e projeção, o que, é claro, ela também não deve desconsiderar totalmente.

    é uma pena.
    ou não.

    ResponderExcluir
  6. Rô, entendo as suas observações, mas o fato de Adele ter sido "descoberta" pela maioria por meio do modismo de sempre não diminui a qualidade do trabalho introspectivo da cantora.
    Gosto de Adele bem antes de ver até o pardal na janela cantarolando as músicas dela.rs. Sempre gostei de músicas, cantores, grupos e bandas não comerciais. O mesmo aconteceu com Marron Five, tenho canções deles do meu note há muuuitos anos.
    Enfim, sorte daqueles que gostam de músicas chicletes porque dessa vez (ouvindo Adele) estão conhecendo som que acrescenta.
    Beijo, lindão.
    Antes de 2011 dar tchau nos falamos!

    ResponderExcluir
  7. Lu, em momento algum questiono a qualidade musical. Pelo contrário! A Adele é boa, e faço questão de deixar isso claro no texto. O problema é o que a superexposição está fazendo com ela. Adele está ficando chata. O que questiono aqui é o fato do brasileiro só dar valor em alguma coisa legal quando entra em trilha de novela da Globo. Do contrário, Adele continuaria sendo cult, para o (bom) gosto de poucos, o que eu prefiro. E, convenhamos, o comportamento auto-destrutivo dela só vai levá-la a lugar nenhum. Já vimos isso antes, com outros artistas. A obra, espero, deve sobreviver. Um beijo, lindona, e feliz 2012!

    ResponderExcluir
  8. Só Michel Teló persistirá: lindo, louro, magro e dançante. :P

    Não tenho nada contra modinhas, acho legal pro artista ser reconhecido pelo bom trabalho, mas o mundo era melhor qdo eu não corria o risco de ter overdose c/ a-mesma-música-tocando-sempre-toda-hora-em-todo-lugar. Por isso fico com Chasing Pavements - e esse prazer, novela nenhuma tira de mim.

    ResponderExcluir
  9. Ane, que legal vc por aqui. E que bom que vc também tem senso crítico. Nem tudo está perdido, né? Bjo.

    ResponderExcluir